top of page

Podcast 
Por que é tão importante se focar no presente?

Tenha aqui a transcrição do podcast - Por que é tão importante se focar no presente?

Receba também os exercícios da prática de viver o presente de forma mindfulness.

Bom proveito!

Yoga at Home

Transcrição

Por que é tão importante se focar no presente?

 

Por muitos anos da minha vida, na verdade até o momento em que descobri o poder da atenção plena, eu vivia quase em um estado de flutuação sob minha própria vida.

Eu cresci num ambiente de muitos conflitos e brigas entre familiares, pais e isso já me fez crescer pensando sempre em “fugir”.
 

E é bastante triste pensar que uma criança está no meio de tantas brigas, e está tão cansada ao ponto de querer fugir do seu próprio ambiente… um ambiente que a sua verdadeira função deveria ser de nada menos de servir para essa criança se sentir segura e confiante.  

Mas essa era a minha realidade… e está tudo bem. Cresci tanto com ela.

Com essa bagagem, veio a adolescência, e nela as coisas foram mudando um pouco com as distrações, mas não muito. As brigas continuavam e traumas foram criados.

E esses traumas e lembranças, me moldaram.

Eles me moldaram para sempre me auto proteger das negatividades vindas na minha vida, me servindo como uma defesa, um escudo.

Mas como todas as outras pessoas que sofrem por traumas na vida… elas fogem desses pensamentos negativos.

Elas fogem de uma só forma…

Se transportando para ambientes, energias mais positivas.

Pode ser através de fugas "físicas", como por exemplo sair mais de casa para se distrair com amigos, festas, hobbies, etc. E também tem as fugas mentais. 

No meu caso, foram mais as fugas mentais que aconteceram.

Eu cresci sendo uma menina muito insegura, muito tímida e isso me fez gostar muito de ficar em casa, “protegida” do mundo. Com medo de mais negatividade chegar até a mim. Uma jovem insegura de si mesma e  insegura também do que o mundo pudesse me trazer. 

Sempre fui uma pessoa muito criativa, e essa minha criatividade me ajudou muito nesses momentos difíceis da vida, e principalmente no meu processo de desenvolvimento pessoal.

Usei muito a minha imaginação para “fugir” do meu ambiente.

Ainda me lembro como se fosse ontem…

Eu, sozinha no meu quarto, pensando no meu futuro… apenas no futuro.

E quando pensava no passado, sentia pena de mim mesmo… até no meu presente.

A vitimização já fazia parte de mim, do meu eu… Ela vinha sem mesmo eu chamar por ela.

Essa sensação era muito familiar e era o que eu “gostava” de sentir… sem saber que na verdade ela me fazia muito mal.

Mas nessa época, eu só sabia sobre o que tinha passado comigo, e não sobre o que eu poderia fazer para mudar a situação em que vivia…

Por sinal, eu só era uma jovem menina… Com tanta bagagem, mas sem saber usar essa bagagem a meu favor.

Agora, não me leve a mal…

Mesmo que até agora eu só disse que o meu passado era complexo, claro que também tive muitos momentos positivos na vida, e com eles eu sempre estava vivendo o momento… aproveitando a situação do agora, do presente.

Mas nas horas vagas… o contrário era feito… E é aí, que tendemos a viver a infelicidade… sem saber o que estamos fazendo com nós mesmos.

E não digo que fazemos de propósito.

Acredito que ninguém gosta de se vitimizar ou se sentir mal de propósito.

Como disse antes, é um sentimento involuntário, inconsciente. 

É inconsciente porque é familiar, é o que sabemos… a famosa zona de conforto.

Se nessa época, eu soubesse como lidar com as negatividades ao meu redor…

Acredito que eu seria uma criança, adolescente e jovem muito mais feliz e realizada, e saberia analisar a vida de uma forma mais positiva, tendo confiança que as dificuldades que acontecem estão aqui para apenas nos fortalecer.

Mas esse não foi o meu caso…

Levei esse sentimento de pena e vitimismo por muito tempo na minha vida…

Pra ser mais concreta, até pouco antes do meu divórcio.

E olha… assim que descobri os métodos da atenção plena a minha vida mudou.

Começando com o meu divórcio. 😜

Depois daí, aqui estou eu…

Ajudando outras almas a encontrarem o equilíbrio. 

A partir do momento em que descobri que o passado não existe, o futuro não existe…

O que existe mesmo é o agora.

Depois que descobri que o passado é apenas lembranças… 

Memórias antigas que não voltam mais.

E o futuro?

O futuro nem existe ainda!

Para nós, o futuro não passa de planos, de hipóteses.

Então, para quê gastar nossos pensamentos em preocupações ilusórias se podemos nos focar em viver o momento?

O agora é único! 

O presente é inevitável.

Vou te dar algumas razões pelas quais é tão importante a prática do viver o presente.

  1. Reduz o estresse e a ansiedade: Quando estamos preocupados com o futuro ou arrependidos pelo passado, podemos sentir estresse e ansiedade. Ao viver no presente, podemos nos concentrar no que está acontecendo agora e reduzir a carga de emoções negativas.

  2. Melhora a tomada de decisão: Quando estamos cientes do presente, podemos tomar decisões com base nas informações que temos agora, em vez de depender de suposições ou expectativas sobre o futuro.

  3. Melhora os relacionamentos: Quando estamos totalmente presentes em nossos relacionamentos, podemos ouvir melhor os outros, entender suas necessidades e responder de maneira mais eficaz.

  4. Aumenta a auto-consciência: Quando estamos conscientes do presente, podemos prestar atenção às nossas próprias emoções e pensamentos, o que nos ajuda a compreender melhor a nós mesmos e a nossos comportamentos.

  5. Aumenta a felicidade: A atenção plena nos ajuda a apreciar e aproveitar mais as coisas boas da vida, como estar com amigos e familiares, ter experiências agradáveis ​​e desfrutar das pequenas coisas da vida.

Portanto, viver no presente e com atenção plena é uma forma importante de melhorar nossa saúde mental e bem-estar em geral, nos tornando mais felizes e saudáveis.

 

E você, está vivendo o presente?

Pratique viver o momento

Prática diária de viver o momento:

  1. Escolha uma atividade simples que você faz todos os dias, como escovar os dentes, lavar as mãos ou fazer uma xícara de chá.

  2. Quando você começar a fazer a atividade, concentre-se apenas nela. Observe todas as sensações, cheiros, sons e texturas envolvidas na atividade. Preste atenção em cada detalhe.

  3. Respire profundamente e sinta o ar entrando e saindo do seu corpo enquanto você executa a atividade. Mantenha-se presente no momento atual e não se preocupe com o passado ou o futuro.

  4. Se sua mente começar a vagar, traga-a suavemente de volta à atividade que você está fazendo. Não se julgue ou se critique por ter divagado, apenas volte sua atenção à tarefa em questão.

  5. Quando terminar a atividade, reserve alguns segundos para refletir sobre a experiência. Observe como você se sente agora que dedicou sua atenção total à tarefa. Sinta a sensação de tranquilidade e presença que você alcançou.

  6. Tente incorporar essa prática em outras atividades diárias, concentrando-se no momento presente e prestando atenção em cada detalhe. A cada vez, tente prolongar sua atenção ao momento presente um pouco mais.

 

Este exercício ajuda a nos tornarmos mais conscientes de nossas ações diárias e a estar mais presentes no momento presente, permitindo-nos aproveitar mais plenamente a vida.

Leia com calma, se foque nas palavras e pratique a meditação.

Respire...

Exercício de meditação para se focar na consciência da responsabilidade em nossas vidas:

  1. Encontre um lugar calmo e tranquilo para se sentar confortavelmente. Feche os olhos e respire profundamente algumas vezes para relaxar o corpo e a mente.

  2. Comece a focar sua atenção na respiração. Observe a sensação do ar entrando e saindo de suas narinas, prestando atenção ao movimento do seu abdômen. Permita que sua respiração se torne mais lenta e profunda.

  3. Conforme você se concentra na respiração, comece a notar as sensações em seu corpo. Observe a sensação do ar fresco em sua pele, o contato dos pés com o chão, as sensações nas mãos e no rosto.

  4. Se a sua mente começar a divagar, gentilmente traga sua atenção de volta ao momento presente. Não se julgue ou se critique por divagar, apenas reconheça que sua mente vagou e traga sua atenção de volta para a respiração e as sensações do corpo.

  5. Agora, expanda sua atenção para o ambiente ao seu redor. Observe os sons que estão presentes, as cores e formas à sua volta. Observe as sensações e emoções que surgem.

  6. Tente manter essa atenção plena por alguns minutos. Se sua mente começar a vagar, reconheça gentilmente isso e traga sua atenção de volta ao momento presente.

  7. Quando estiver pronto, abra lentamente os olhos e volte gradualmente ao ambiente ao seu redor. Permaneça sentado por alguns minutos, observando como você se sente após a meditação.

 

Luz à todos!

Agora descreva...

Descreva, escrevendo em um caderno, as sensações que você sente após praticar os exercícios desse tema.
Se abra honestamente às novas emoções, mesmo que ainda se sinta desconfortável. 


Lembre-se de que a prática da atenção plena requer paciência e persistência. Quanto mais você praticar, mais fácil será permanecer presente no momento e reduzir a influência dos pensamentos e distrações em sua mente.

Sinta-se à vontade de voltar aqui quando precisar.

Nathalia Cabrita

bottom of page